Quem Somos?

Dra. Tsukiyo Kamoi

Formada em Medicina pela UFPR, fez residência e mestrado em pediatria pela UFPR. Tem título de Especialista em Alergia e Imunologia pela Sociedade Brasileira de Alergia e Imunologia. Faz parte do departamento de Alergia e Imunologia da Sociedade Paranaense de Pediatria. Membro da "American College of Allergy and Immunology" e "American Academy of Allergy, Asthma and Immnology".

Dra. Georgia Milani

Formada em Medicina pela UFPR, fez residência e mestrado em pediatria pela UFPR. Tem título de Especialista em Alergia e Imunologia pela Sociedade Brasileira de Alergia e Imunologia. Faz parte do departamento de Alergia e Imunologia da Sociedade Paranaense de Pediatria. Membro da American College of Allergy and Immunology.

Secretária

Consultório

Exames Realizados

Clique sobre o nome do exame para saber mais.

Teste Cutâneo Alérgico

O teste é realizado no antebraço , onde é pingada uma gota uma gota do alérgeno suspeito. É feita uma pequena puntura na pele no local da gota que representa o extrato suspeito, e aguarda-se 15 minutos para a leitura do diâmetro da elevação da pápula. Essa puntura é realizada em todos os alérgenos suspeitos ao mesmo tempo.

Teste de Contato

Teste de contato: também conhecido como Patch test, é considerado o teste padrão ouro para identificar a etiologia da dermatite de contato. Dispomos de 3 tipos de teste de contato.

Espirometria ou Função Pulmonar:

A espirometria, também conhecida como teste de sopro, é um exame que mede a função pulmonar. É um exame em que se avalia os volumes e fluxos de ar que entram e saem do pulmão. Indicado para confirmar o diagnostic ou acompanhar o tratamento de doenças respiratórias, como asma ou DPOC.

Doenças mais Frequentes

Asma

Se caracteriza pela inflamação das vias respiratórias e se manifesta por falta de ar, chiado no peito, cansaço, tosse e catarro. Os brônquios inflamados se tornam sensíveis a vários fatores, como poeira, ácaros, mofo, pelos de animais, poluição, fumaça, alguns cheiros, mudança de temperatura.

Rinite

Inflamação da mucosa do nariz. Alguns minutos depois de se inalar uma substância que provoca alergia, como poeira, mofo e ácaros, surgem os sintomas: coceira, espirros, coriza e obstruçao nasal. Na nossa região, sul Brasil, na época da primavera, muitos pacientes apresentam a polinose, ou seja alergia ao pólen.

Urticária

São placas e pápulas hiperemiadas (denominadas urticas) que aparecem na pele rapidamente e coçam muito. Variam em tamanho e podem aparecer em qualquer área do corpo. Normalmente as lesões mudam de lugar e enquanto algumas vão sumindo, outras vão aparecendo. A urticária que melhora até 6 semanas é chamada de urticária aguda. Quando dura mais que 6 semanas é chamada de urticária crônica. Pode ocorrer em qualquer idade. A urticária crônica merece uma investigação mais detalhadas de doenças crônicas, que podem estar associada a urticaria.

Alergia Alimentar

É uma reação adversa a um determinado alimento. Envolve um mecanismo imunológico e tem apresentação clínica muito variável, com sintomas que podem surgir na pele, no sistema gastrintestinal e respiratório. As reações podem ser leves com simples coceira nos lábios, até reações graves que comprometem vários órgãos. A Alergia Alimentar resulta de uma resposta exagerada do organismo a determinada substância presente nos alimentos. Nas crianças os alimentos mais frequentes são leite e ovo. Já, nos adultos são os frutos do mar.

Alergia e Medicamentos

As reações a drogas podem ser classificadas como previsíveis ou comuns, que podem ocorrer em qualquer indivíduo; e reações imprevisíveis ou incomuns, não relacionadas à atividade farmacológica da droga e associadas à suscetibilidade individual, como na intolerância, idiossincrasia e nas reações de hipersensibilidade (reações alérgicas e pseudo-alérgicas). Reações a drogas que surgem em consequência de reação imunológica são chamadas de alergia a drogas. Os medicamentos mais frequentemente associado as alergias são: analgésicos, antiinflamatórios e antibióticos.

Dermatite Atópica

É uma doença inflamatória da pele, crônica e recidivante, que se iniciam em 85% das vezes na primeira infância. O quadro clínico pode variar desde as formas mais leves e localizadas até formas mais graves e disseminadas. A lesão clássica da Dermatite atópica é o eczema, e o paciente apresenta muito prurido e a pele é ressecada.

Dermatite de Contato

É uma reação inflamatória na pele, que pode ser irritativa ou alérgica.

A dermatite irritativa é causada por substâncias ácidas ou alcalinas, como sabonetes, detergentes, solventes ou outras substâncias químicas. Pode aparecer na primeira vez em que entramos em contato com o agente causador e é uma forma que ocorre em um grande número de pessoas. As lesões da pele geralmente são restritas ao local do contato.

A dermatite alérgica de contato aparece após repetidas exposições a um produto ou substância. Ela depende de ações do sistema de defesa do organismo, e por esse motivo pode demorar meses a anos para ocorrer, após o contato inicial. Essa forma de dermatite de contato ocorre, em geral, pelo contato como produtos de uso diário e frequente, como perfumes, cremes hidratantes, esmaltes de unha, medicamentos de uso tópico, entre outros. As lesões da pele acometem o local de contato, podendo atingir outros à distância.

No Brasil o agente mais frequente é o sulfato de níquel, presente nos metais.

O teste é realizado no antebraço , onde é pingada uma gota uma gota do alérgeno suspeito. É feita uma pequena puntura na pele no local da gota que representa o extrato suspeito, e aguarda-se 15 minutos para a leitura do diâmetro da elevação da pápula. Essa puntura é realizada em todos os alérgenos suspeitos ao mesmo tempo.

O surgimento da pápula representa uma reação em que há presença do anticorpo IgE específico contra o alérgeno testado. O significado do teste positivo relaciona-se a uma sensibilização e não necessariamente à alergia. Para comprovar a alergia deve haver uma correlação clínica.

Contra indicaçao do Teste:
* Uso de anti-histamínicos (devem ser suspensos 5 dias antes do teste)
* Presença de lesões de pele extensas (ex: Dermatite atópica)
* Dermografismo (um tipo de alergia de pele)
* Distúrbios de coagulação
* História pregressa de anafilaxia com o alérgeno suspeito.

Também conhecido como Patch test, é considerado o teste padrão ouro para identificar a etiologia da dermatite de contato. Dispomos de 3 tipos de teste de contato.

Teste contato padrão: Consiste na aplicação de 30 diferentes substâncias, recomendadas pelo Grupo Brasileiro de Estudo em Dermatite de Contato (GBEDC) da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

A aplicação é feita com fitas adesivas que são aderidas às costas do paciente. Após 48 horas essas fitas são retiradas e é realizada a primeira leitura do exame. A segunda leitura é realizada em 96 horas.

Teste de contato Cosméticos: Bateria Regional, Série de unhas e Série Capilar.

Teste de contato alimentos: utilizado para a pesquisa de alérgenos alimentares quando há suspeita de reação tardia a alimentos, como ocorre em dermatite de contato alérgica, dermatite atópica ou esofagite eosinofílica.

Se você usou corticoide oral ou injetável, deve esperar 30 dias para realizar o teste de contato.